Arquivo da tag: Valores

Negociar com a Oi, dá nisso

Confiar na Oi, dá nisso: decepção! Empresas de telecomunicação no Brasil exploram o mercado de forma predatória. Ranços da "era FHC".Com tantos exemplos por aí, apesar de tantas “vítimas” feitas por essas empresas de telecomunicações (oriundas da tenebrosa “Era FHC”), sempre há um panaca ainda por cair em algumas dessas tramóias. Dessa vez, este que vos escreve é o protagonista da história.

Ao me mudar para o Estado de Minas Gerais, procurei me informar acerca dos planos disponíveis para telefonia fixa, celular, internet banda-larga, etc. A única empresa que agrega todos estes serviços no Estado é a Oi. Detentora da antiga Telemar e também da Velox, a empresa oferece uma solução que, em princípio, parece ser interessante, tanto por agregar todos os serviços em uma única conta como também pelo valor: o Oi Conta Total. Além dessas vantagens, todas as linhas participantes do plano falam entre si gratuitamente, desde que esteja dentro da área de cobertura em que foi contratada.

Na época (março/2009), o serviço, que incluía, telefone fixo, dois celulares e conexão banda-larga de 1Mb saía por R$ 169,00 ao mês, já com um desconto de R$ 80,00 durante os primeiros 10 meses. Interessante o preço, não? Sim, inclusive pela possibilidade de cancelamento do plano após os tais 10 meses e recontratação de outro, conforme a promoção vigente.

Contratei o plano em março de 2009 (o Oi Conta Total 2). Tive aqueles problemas técnicos para fazer a conexão funcionar, o “modem grátis” não havia sido entregue  por conta de informações erradas de provedores (tanto do UOL quanto o da própria Oi), essas coisas. Mas, no geral, até que funciona bem. Porém, saiba desde já, que o valor previsto de R$ 169,00 foi cobrado apenas em julho/2009, em todos os outros meses, os valores vieram diferenciados do valor contratado, obviamente com a respectiva justificativa. Inclua-se aí também o aumento anual autorizado pela Anatel, que a funcionária não informa no ato da contratação.

Ao final dos 10 meses, a loja da cidade me procurou, oferecendo uma nova promoção e como minha filha estava precisando de um celular, aderi ao Oi Conta Total 3, que dá direito a mais um chip. Dessa forma, precisaria de mais um aparelho. Como já estava com aquela “vontade” de ter um smartphone (vinha cogitando a possibilidade há alguns meses), fui verificar a tal promoção do iPhone pela Oi. Diz o slogan “E você ganha até R$ 2000 de crédito para comprar seu iPhone”. Que interpretação você faria dessa frase? Pois é, acreditei nela. Mais um otário caindo na “propaganda” da Oi.

iPhone: na Oi é bem mais caro Propaganda esconde o valor real da promoçãoAo ligar na Central de Vendas, o funcionário disse que, pelo meu plano, eu receberia um crédito de R$ 1750 e que eu pagaria apenas a diferença, dependendo do modelo que escolhesse, junto ao Mercado Móvel (a empresa que comercializa o aparelho para a Oi). Pelas contas que fiz, optei pelo 3GS de 32Gb. Pensei comigo: R$ 2799 menos R$ 1750 é igual a R$ 1049. Bom preço, não? Pois é…

O valor do meu novo plano havia ficado em R$ 209, (incluindo fixo, três celulares e banda-larga de 1Mb). O funcionário ainda me disse, que, aderindo ao plano de dados eu teria mais um desconto (e quantos descontos a Oi oferece), de R$ 209, o valor do plano reduziria para R$ 175 e somado ao plano de dados, o total passaria a custar R$ 259 ao mês. Claro que fechei! Achei que foi um ótimo negócio. Porém, não percebi que estava prestes a “cair da cama” e acordar do meu “sonho”.

Ao fechar o plano, o funcionário me deu um número de protocolo para eu entrar em contato com o Mercado Móvel. Ao ligar na referida empresa, a primeira surpresa: Eu não pagaria “somente a diferença”, como havia sido dito, iria pagar o valor integral do aparelho em até 10 parcelas no cartão de crédito e me disseram que eu poderia escolher entre receber o crédito em forma de desconto pela fatura ou no próprio cartão de crédito. Mesmo achando a história muito esquisita, a “vontade” de ter o iPhone era mais forte e me impediu de perceber que estava para cair em uma emboscada. Resolvi comprar o aparelho e o mesmo foi entregue em alguns dias.

Ao ligar na Oi para fazer a habilitação do plano, percebi que já não rolava mais aquele papo de R$ 259 por mês, e, claro, o funcionário não conseguia esclarecer o porquê (eles nunca conseguem). Antes disso, porém, havia ligado na Oi algumas vezes para saber mais a respeito de como receberia o tal crédito. Me disseram que o mesmo viria somente creditado na fatura, a partir da segunda mensalidade, depois de contratado o plano de dados (a via pelo cartão de crédito estava descartada). Por não entender mais a situação e não ter ninguém que pudesse me explicar, resolvi aguardar a chegada das próximas faturas. E elas chegaram.

Em valores, a coisa ficou assim: eu (achei que) devia pagar pelo Oi Conta Total 3, R$ 209 nos 10 primeiros meses (desde que fosse feito débito em conta corrente, mais essa…), com a adesão ao plano de dados, o valor subiria para R$ 259 e eu (achei que) ainda receberia o tal crédito pela aquisição do iPhone. Ledo engano.

A fatura de abril veio no valor de R$ 254 líquidos e nada de crédito. Já a fatura de maio veio no valor de quase R$ 300 e também sem nenhum crédito. Fui à loja da Oi aqui na cidade, a funcionária perdeu um tempão comigo sem conseguir entender aqueles valores todos e (adiantando informalmente que, segundo ela, o tal crédito não existe) me orientou a ligar no *144. Liguei e a atendente disse não ter acesso às informações sobre o plano de dados e sugeriu abrir uma contestação (mais uma, aquela que eles nunca dão retorno). Não tem ninguém que possa esclarecer minhas dúvidas quanto ao plano de dados? Não seria este um direito meu? Pelo visto, não.

Conclusão

É triste, porém verdade. A moça da loja estava mais ou menos certa. Contratei o Oi Conta Total 3, que me garantia um desconto de R$ 140. Ao, adquirir 0 plano de dados, no valor de R$ 85, e um aparelho no valor de R$ 2799, na esperança de pagar somente R$ 1049, por conta do tal crédito de R$ 1750, o desconto que era de R$ 140 aumentou para R$ 175 (eis o tal crédito, sacou?), um ganho de apenas R$ 35 que, em 10 parcelas, dá um total de R$ 350, ou seja, o aparelho vai sair por uma bagatela de R$ 2449. Praticamente, troquei seis por meia-dúzia. E ainda estou vinculado por 10 meses a um plano de dados de 10Gb mensais, o qual não consigo usar nem 100Mb, já que passo a maior parte do tempo usando o aparelho com a conexão WiFi e vale lembrar que não tem cobertura 3G (somente Edge) na cidade onde resido e ainda que tivesse, a velocidade é bem inferior ao WiFi, pude comprovar isso quando fui à Belo Horizonte/MG. Como tudo tem um lado positivo, agora tenho um iPhone 3GS de 32Gb (por enquanto e se nada mais der errado :))

Pois é! Negociar com a Oi, dá nisso!